quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Depois da tempestade... enfim, uma relativa bonança...

Quanto, da contagem das nossas horas, passamos com o rosto disforme apoiado nas mãos côncavas, enquanto o desespero toma os nossos olhos e as nossas emoções... quanto tempo choramos nós? Tanto quanto passamos a sorrir, ou até mesmo muito mais...


Mas já a sabedoria popular nos conta que "Depois da tempestade vem a bonança"

E tenha-se baseado este juízo numa experiência de vida, numa investigação ou até mesmo na sentença de alguém que apenas precisava de se tranquilizar perante a adversidade, certo é, que podemos aplicar este adágio, inúmeras vezes, ao nosso efèmero percurso de vida... E depois de tanto lutar, de tanto chorar, de tantas batalhas perdidas... eis que chega a tão ansiada bonança...

2 comentários:

Anónimo disse...

Li o Rei Édipo de Sófocles e estou a ler a Medeia de Eurípedes ;D

PEDROCAS
BEIJO GRANDE

Carlos Pinto Vinagre disse...

Convido a visitar

www.kronospoesis.blogspot.com

Boa semana.