quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Despertar Atónito



Soa o ruído intermitente despertador... Som familiar, que procura em nós, o automatismo imediato do repentino levantar, após uma noite de sono...
Mas hoje não foi assim...

Os olhos mal se me cerraram durante a noite, entre passagens fugidias entre sonos, mal tive tempo para me contemplar nos sonhos... Pesa-me alma, pesa-me o espírito...

Hoje, ao contrário dos dias normais, semi-cerrei vagarosamente os olhos e contemplei a luz tímida da manhã que entrava pelas frinchas da janela... Desejei que não fosse hoje, que a noite se prolongasse eternamente e com ela o meu sono...

Desejei poder ficar ali... encolhida na minha cama, aconchegada no meu mundo, no espaço que me reserva íntegra ainda... Desejei mergulhar nos sonhos e contemplar-me num mundo que é so meu, incorruptível...

Desejei que não houvesse ontem, nem amanhã... que o tempo parasse ao som do meu respirar sôfrego e se apagassem todas as memórias... se me fossem varridas da alma as mágoas, os sofrimentos e os gestos que tanto nos causam pesar.

Hoje, queria estar protegida do mundo que me olha e que aguarda expectante as minhas acções impensadas, na fúria de me agarrar, ao primeiro passo em falso e me submeter às arduras que preparou para mim... Hoje não queria que fosse assim... Queria estar fechada a sete chaves, por detrás da armadura que criei e sozinha contemplar o tempo que passa ileso da minha presença... ser espectadora errante dos rumos da vida que em mim se cruzam e recusam a ficar... Hoje queria estar só, neste meu recolhimento e desejava que uma qualquer parede me protegesse dos golpes que me infligem, para permanecer em paz... num dia em que, já desperta, acordei para um novo passo, um novo gesto, uma nova atitude, que gostava poder prescindir... apenas ficar para ver o mundo passar por mim, aqui, na minha alienação sem dor.

2 comentários:

Pedro Miguel disse...

fodass...tu estás incrivelmente sintonizada com a cena da qual eu quero falar sobre os mars volta...a musica que postei, o inertiatic, significa o estado de inercia...não serás uma marsvoltana!?

Rui de Cavalheiro disse...

Gustoume o despertar atónico, muito bo, e muito apropriado o cadro de Dalí :)

P. S.: grande putada o de que se che borrasen todas as entradas do blog :S